quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Inovação e criatividade no mundo da pizza.

Inspirado na minha descendência italiana, resolvi escrever sobre pizza, não que eu entenda sobre o assunto, mas gosto muito, como muito e faço num forninho à lenha que tem na casa dos meus país.


Podemos dizer que a pizza é um prato popular, encontramos desde R$ 9,90 até algumas mais elaboradas custando R$ 200,00, temos uma massa simples com pouco ingredientes, cobertura de acordo com o estilo proposto e assada no forno a lenha, vamos eliminar as assadas no forno a gás, pois acho que não vale a pena.

Dentre os estilos de pizza temos os mais tradicionais, como, calabresa, marguerita, napolitana, quatro queijos, etc. O que notamos nelas é que sempre tem um equilíbrio entre a massa, os ingredientes da cobertura e a ação da lenha, mesmo os estilos mais “encorpados”, como o 4 queijos, os ingredientes são combinados de modo a harmonizarem-se, tornando a pizza mais fácil de comer, fazendo com que você tenha vontade do próximo bocado.

Podemos criar estilos novos, através de técnicas culinária, conhecendo os ingredientes e buscando na tradição, podemos inovar, com pizza de abobrinha, frango com requeijão, etc.

Achei por bem criar três novos estilos de pizza, são eles:

Imperial Purple Basil, a criativa pizza margherita onde o manjericão verde é substituído pelo roxo, daí adiciona-se 5 vezes mais.

Imperial four cheese, não utilizamos nesta receita os queijinhos fracos que são usados normalmente, mas sim, Gorgonzola, Stilton, Parmesão e Provolone.

E o que dizer da imperdível Four Quarter Double, onde na cobertura temos 15 diferentes queijos, 15 diferentes embutidos, 15 diferentes ervas e o resultado é a pizza com 15 centímetros de altura.

São três exemplos da mais pura criatividade na cultura da pizza, mas você deve estar com o paladar evoluído pra gostar destas invenções.

Na realidade ainda funciona o ditado, a boa pizzaria é aquela que faz uma boa marguerita. A inovação se faz necessária, o mundo muda, tudo evolui, mas vamos ter coerência, técnica e estudar o que estamos fazendo.

Outro ditado: Pizza margerita sem manjericão é pizza de mussarela.

Os sérios analistas de pizza me desculpe, não me atreverei a avaliar pizza dando notas a elas, paro apenas neste post.

28 comentários:

Fábio Luís disse...

não curti esse papo que forno a gás num vale...magoei!

Rodrigo Campos disse...

Oi Alexandre,

Apesar do assunto não ter muita relação com cerveja (mas também quem não gosta de pizza?), tem uma informação aí que me interessou muito. Onde é que tu encontrou queijo Stilton aqui no Brasil? Adoro Stilton mas nunca encontrei aqui.

Abraço.

Alexandre Bamberg disse...

Fábio, ta bom então, vamos acrescentar o forno a gás, heheh.

Abraço.

Rodrigo,

Acho que não encontramos Stilton pra vender no Brasil, eu pelo menos não conheço nenhum lugar que vende, não fiz nenhuma pizza destas é apenas uma caricatura do nosso momento cervejeiro, Abraço

gilberto disse...

Alexandre, isso não é uma pizza, é um brontoburguer!! hehe

Edu Passarelli disse...

Rodrigo, Ale,

Temos Blue Stilton no Melograno! E também em casas especiallizadas em gastronomia. É um belo queijo!

Abraços

Luiz Felipe disse...

O momento cervejeiro no Brasil é uma caricatura??? não entendi... se alguém acha extremo demais... que beba leite... ou como a própria AMBEV diz que faz o padrão que o brasileiro gosta?? Será que realmente o brasileiro tem referência para saber do que gostar??

MAURICIO BELTRAMELLI disse...

O pizzaiolo precisa ser realmente BOM pra fazer uma pizza de mozzarella perfeita. Se não for, a simplicidade da pizza o denunciará.
É bem mais fácil fazer uma pizza lotada de ingredientes e condimentos, a esconder seus eventuais defeitos e desequilíbrios.

Renato Todorov disse...

Amigos,

Em se tratando de marguerita recomendo que ouçam esta música da banda Tubaína, que aliás esteve por esses dias atrás no Melograno junto com o mestre Laert Sarrumor:

http://www.youtube.com/watch?v=Xlw4J674vfg

[]'s

@RTodorov

Monich disse...

Grande Alexandre.
Veja como estamos voltando um pouco no tempo e valorizando algumas coisas "quase" extintas. O forno a lenha em casa realmente é fantástico para quem gosta de cozinha.
Lembro que na casa da minha avó, além de pão e pizzas tinham bananas secas e muitas outras boas comidas.
Tanto o visual quanto o sabor parecem e realmente são melhores.
Excelentes cervejas e pizzas, sempre.
Um abraço.
Monich

Alexandre Bamberg disse...

Gilberto, Edu, Mauricio e Renato

Obrigado pela contribuição que voces deram no post emitindo suas opiniões.

Abraço.

Alexandre Bamberg disse...

Luiz Felipe,

Como todo mercado temos pessoas bem intencionadas e outras mal intencionadas, no de cerveja não poderia ser diferente, acho que cerveja é boa ou ruim, não temos espaço pra descriminação, preconceito e racismo no mundo cervejeiro, estas pessoas são caricatas, como descrevi no post.

Abraço

Alexandre Bamberg disse...

Monich,

É isso mesmo, temos que buscar a tradição, aprender o alicerce pra depois poder inovar com coerencia.

Abraço e obrigado por mais uma vez contribuir.

Luiz Felipe disse...

Muito obrigado pela resposta... concordo plenamente... existem cervejas boas e cervejas ruins... no entanto não foi essa impressão que tive... me senti ofendido como cervejeiro caseiro...por isso de minha resposta... senti como se minhas experiências extremas estavam sendo descriminadas... Acredito que num mercado tão novo como o nosso... tem espaço para pizzas com mais de 100 sabores e além...

valeu
abraços

Alex Mecenas disse...

To achando essa discussão entre cerveja extremas e clássicas sem sentido. Particularmente, gosto de cerveja mais clássicas, mas vejo as cervejas extremas numa vanguarda que pode surpreender positivamente a abrir caminhos para novos sabores e quem sabe estilos. A escola americana de certa forma fez isso. Gosto não se discute! Depreciar o produto de um ou de outro já é errado, mas nada como uma conversa de bar resolva.

Em tempo, parabéns Alexandre a a toda equipe da Bamberg por mais um prêmio.

Alexandre Bamberg disse...

Alex,

Mas a idéia do post não era criticar as extremas, mas sim as cervejas sem coerencia, sem critério, acho que podemos fazer cervejas extremas com qualidade, inovação ou até algumas clássicas podem ser extremas, acho que cerveja boa independente se é classica ou extrema tem seu momento pra consumo, a idéia do post foi mostrar uma caricatura do que acontece algumas vezes.
Abraço.

João Gabriel Margutti Amstalden disse...

Todo mundo sabe fazer e faz pizza de mozzarella, o estilo mais conhecido das pizzas, mas fazer pizza BOA de mozzarella, aí são outros quinhentos...

Eduardo Sampaio DuzBier disse...

Alexandre,

Muito bom o post com a idéia de caricatura! Penso que por mais simples ou complexa que uma cerveja ou mesmo uma pizza seja, tudo tem que ter certa coerência! Inovando com coerência assim é que estabelecemos os critérios.

Antes de finalizar, deixo os meus PARABÉNS pelo título de Cervejaria do Ano de 2010 pela Revista Prazeres da Mesa!
Abraço

Alexandre Bamberg disse...

João,

é exatamente isso, valeu.

Eduardo,

a ideia foi justamente essa, toda inovação é bem vinda, mas temos que ter coerencia. Obrigado.

Leandro disse...

semente da discórdia.

kiko_mello disse...

Fique no seu conservadorismo e seja feliz, mas não diminua os que tem coragem, ousadia e principalmente talento para inovar!!

Alexandre Bazzo disse...

Caro Kiko_mello, se voce conhece a Bamberg saberia que não somos consevadorista, se voce soubesse ler teria entendido o recado do texto. Fique na sua ignorancia.

kiko_mello disse...

Se ficar na mesma "Marguerita" tradicional de sempre não é ser conservador, o que seria conservadorismo então?

O problema não é que eu não sei ler, o problema é a sua prepotência ao tratar assuntos cervejeiros.

Deveria dar uma desinflada no seu ego, humildade nunca é demais!

Alexandre Bazzo disse...

Kiko_mello,

Vou explicar devagar pra ver se vc consegue entender. A Bamberg já fez mais de 15 estilos diferentes de cerveja, indo de 4,8% de alc a 9%, das escolas alemã, belga e inglesa, com muito lúpulo ou pouco, até cerveja maturada em barril de carvalho e refermentada com fermento de champagne, isso é ser conservador?
Voce sabe ler e escrever, mas falta talvez um pouco de inteligencia pra compreender o texto.
E voce, o que de útil vc fez da vida, pois é fácil falar dos outros atrás de um codinome na internet, mostra sua verdadeira cara, fala aí qual seu verdadeiro nome.
Quanto a prepotencia, eu trato as pessoas da mesma forma que sou tratado, eu tava quieto no meu canto, vc que foi sem educação.

kiko_mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kiko_mello disse...

Quando você fez esse post, não foi considerado só por mim a "sementinha da discórdia" como você bem sabe!

Falei que você é conservador e prepotente, essa foi a minha falta de educação? Você não tem maturidade para aceitar críticas. Se postou um conteúdo irônico e provocador, era no mínimo de se esperar que comentários contrários surgissem. Sabe, nem sempre as pessoas irão concordar com você, não é tão difícil de compreender isso, ou é?

Quanto ao meu nome é esse mesmo, kiko Mello, pode procurar no facebook, não preciso me esconder atrás de codinome nenhum como você pressupõe. Sou homebrewer com muito orgulho, sem qualquer tipo de problema com meu ego.

kiko_mello disse...

E você não estava quieto no seu canto. Você é autor do post e em baixo dele existe a opção "Comentar".

Uma sugestão é colocar a opção "Comentários apenas de amigos concordando".

Alexandre Bazzo disse...

Kikão,
O que eu escrevo no blog são texto que expressam minha opinião, este texto, não foi dirigido pra ninguem é apenas o que eu penso sobre este assunto, não sei o que é esta semente da discordia,se eu quisesse apenas ouvir elogios não permitia a postagem de comentarios sem moderação, volto a repetir, voce não conhece a Bamberg, além disso, se voce me conhecesse saberia o quanto gosto quando as pessoas opinão sobre minha cerveja e sobre o blog, ou outras coisas que escrevo, ou ainda sobre meu programa de rádio, por esta falta de conhecimento seu não posso aceitar e concordar com seus comentários. Outra coisa, procura outro blog pra ler, pois não vou mais responder seus comentários, ou melhor cria um blog e expressa sua opinião lá, talvez até uma opinião preconceituosa, pois como eu não faço cerveja da moda, nem falo o que todo mundo quer escutar, voce pré julga isso como conservador, mesmo eu mostrando pra vc a gama de produtos da Bamberg.
Abração, Feliz Natal, Prospero Ano Novo.

kiko_mello disse...

Olha aí, já gostei muito da mudança brusca no modo de argumentar as coisas! Poderia ter sido assim desde o princípio! E digo isso sem ironias!

Seu blog realmente não faz parte da minha literatura, caí exatamente nesse post através de um fórum de SP e não me interessei em ler outros posts, fique tranquilo que muito dificilmente irá me ver por aqui novamente.

Um ótimo 2012 e sucesso !!