quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O país das maravilhas.

Todos vem acompanhando a grande dificuldade que as microcervejarias no Brasil vem tendo em registrar novas cervejas no Ministério da Agricultura, com nós da Bamberg não seria diferente, temos oito novas cervejas parado lá, algumas com mais de 1 ano.


Mas por que existem no mercado cervejas importadas Vintage, ESB, Chocolate Stout, Fruit Beer, Wit (que leva especiarias e laranja), dentre outras, e as cervejarias nacionais não lançam este tipo de produto? É falta de competência de nossos cervejeiros?

Pois é, no Brasil das maravilhas temos dois países, o do jeitinho e o da lei rigorosa que deve ser cumprida a qualquer custo. E é assim na cerveja, existe um jeitinho pra aprovar cervejas importadas, uma brecha na legislação e na fiscalização, já para as nacionais não há brecha, então o rigor da lei deve ser cumprido.

Não culpo o fiscal, ele realmente deve seguir o que esta escrito na lei, uma legislação que foi feita para um mundo cervejeiro onde existia apenas uma cerveja, a água amarela com gás, tudo evoluiu desde então, mas a legislação é a mesma, por isso, pra ela, nós cervejas artesanais não existimos.

Não culpo o importador, pois todas as cervejas deles estão legalizadas, de forma lícita, e seguindo a legislação eles conseguem entrar no Brasil com cervejas que nós não podemos produzir.

Eis a questão, como fazer pra termos igualdade?

Temos que mudar a legislação, adequá-la com a realidade do mundo cervejeiro atual. Mas isso interessa a quem? A nós produtores, consumidores e afins de cervejas de qualidade, ou seja, uma parcela minúscula da população, sem poder pra pagar lobistas e financiar campanhas políticas.

Conclusão, a legislação brasileira decretou a morte da cerveja artesanal de qualidade no Brasil, é apenas uma questão de tempo, não da pra inovar, não da pra trazer a tradição de estilos milenares, não da pra fazer cerveja boa.

Com isso perderemos um nicho de mercado que gera empregos e paga imposto em maior quantidade por hectolitro que as cervejas comerciais, além disso, fomentamos o turismo local, trazendo estrangeiros e brasileiros para a nossa região, fazemos com que o Brasil seja motivo de noticia boa no exterior quando ganhamos um prêmio internacional, pregamos o consumo moderado de álcool, é o beba menos e melhor.

Este é o cenário das cervejas de qualidade no Brasil, mas você pode estar pensando, ninguém ta reclamando disso, sim, poucos reclamam, pois poucos tem interesse em fazer cerveja boa, ta bom assim pra maioria.

5 comentários:

Apê disse...

Isso é um absurdo...

A cada vez que ouço falar de uma cerveja nova empacada no MAPA, penso na quantidade de sabores e estilos sensacionais que estamos perdendo, com a criatividade e qualidade que muitos consumidores procuram. Ou seja, o Brasil está fazendo cervejas excelentes, que são impedidas de chegar ao consumidor.
É todo um potencial de mercado nacional e até mesmo para exportação...parado! Por burocracia. Por falta de vontade política...

Enquanto isso, nós que gostamos de cerveja somos restritos ao preço das importadas.

Fica complicado ter bom gosto!

Mario Maduro disse...

Alexandre,

A cada ano vemos que o mercado de cervejas artesanais cresce, a cada ano vemos que os brasileiros estão descobrindo o mundo de sensações que a cerveja pode nos proporcionar e acredito que isso já é uma enorme conquista, porém não podemos aceitar que o desenvolvimento da cultura cervejeira seja barrado por conta de procedimentos burocraticos indevidos de orgãos nacionais.

Vamos todos lutar pela reestruturação legal de nosso pais de modo que seja possivel introduzir as diversas possibilidades de se fazer cerveja no mercado nacional.

No site http://www.peticaopublica.com.br/ podemos criar um abaixo assinado de qualquer natureza e encaminhar o mesmo aos orgãos publicos competentes, infelizmente, uma ferramenta não muito conhecida ainda pelos cidadãos brasileiros.

Acredito que você e os outros donos de cervejarias artesanais do Brasil poderiam providenciar um abaixo assinado e repassar adiante que, com certeza, milhares de apreciadores irão se motivar a abraçar essa causa até que seja possivel apreciarmos cervejas divinas(mais cervejas divinas, claro!) feitas em solo brasileiro.

Desde já, estou contigo nessa luta!

Viva a revolução cervejeira!!

gilberto disse...

Alexandre, o jeito é montar a Bamberg na Argentina e importar pra cá, acho que com menos impostos por ser mercosul, pelo menos lá a carne é boa, a rauch casaria bem com elas...
Eu ainda não acredito no Brasil, sinceramente...

João Paulo Rensi disse...

Boa Mario!!!!!!!

Creio que o caminho começa por ai....se milhares de pessoas se mobilizarem, o cenário com certeza muda, nem que seja de pouco em pouco ele mudará....é questão de tempo...a ambev já está incomodada com o assunto, isso é evidente meus caros amigos cervejeiros!!!!!!!!!!!

Porém como todos nós brasileiros sabemos muito bem, o que manda no brasil é o colarinho branco e a verdinha...enquanto eles patrocinarem campanhas politicas e alianças de monopólio não há muito o que fazer a não ser continuar a rastejar que nem uma lesma...mas no entanto as lesmas sempre chegam em algum momento ao seu objetivo por mais que demore, elas estão sempre lá.....espero que entendam a minha comparação maluca...mais é o que me veio no momento...

Gilberto, meu caro amigo.... ARGENTINA??????ERES LOKO CHICO? nós somos brasileiros , é aqui que a cerveja cresce, é aqui nossa terra!!!! eles nem ligam para nós , nos consideram inferiores e temos que mostrar ao mundo que o brAsil veio para ficar!!!!!!!! a economia é nossa!!!!!!!!!! Já basta a carne e o vinho, agora a cerveja???? naão mesmo meu caro!!!!!!! somos brasileiros....eles são hermanos nossos...(nada contra os argentinos , adoro o país e a cultura , porém acho que vc exagerou um pouco)

JUNTOS VENCEREMOS ESSA BATALHA
ALGUÉM CONHECE A HISTÓRIA DE DAVID E GOLIAS????

Um grande abraço a todos apreciadores de cerveja.

Marco Aurélio Piacentini disse...

Caro Alexandre,
É bem verdade que as trilhas da burocracia atrapalham, e muito! Como homebrewer e advogado, conheço muito bem as curvas e arestas desse caminho.
Acho que o caso tem solução. posso ajudar, se possível. Tenho várias alternativas que podem ajudar, e seria um prazer enorme compartilhar com você.
Se precisar, estou à disposição
m_piacentini@uol.com.br