segunda-feira, 14 de março de 2011

Altbier X Kölsch


A escola alemã cervejeira é conhecida por lagers, cervejas de baixa fermentação, porém, temos fantásticas Ale nesta escola, cervejas de alta fermentação bastante singulares, duas delas são Altbier e Kölsch.

Nas cidades de Dusseldorf e Colônia (Köln), no centro oeste da Alemanha, elas mantêm a tradição de fazer cervejas de alta fermentação, hoje, ambas são grandes cidades, mas a primeira a se destacar com a cerveja foi Colônia, a muitos séculos atrás, nesta época Dusseldorf pertencia a Colônia, mas ela foi ganhando força política e financeira e transformou-se em cidade. Ambas são banhadas pelo Rio Reno.

Piada que o pessoal de Dusseldorf faz.

Em Colônia a cerveja é de alta fermentação, leve, com uma lupulagem marcante mas não exagerada, fácil de beber e normalmente leva até 10% de malte de trigo na formulação, fazendo com que a espuma seja muito persistente, esta cerveja é a Kölsch, é uma palavra que designa o que é de Köln. Esta cerveja tem denominação de origem protegida e apenas os produtores que pertencem a cidade pode chamar sua cerveja de Kölsch.

A 50 km de distância temos a cidade de Dusseldorf, também banhada pelo Rio Reno, onde a cerveja é de alta fermentação, vermelha, com alta lupulagem, final seco, pode conter até 10% de malte de trigo na fórmula, mas isso não é comum, esta é a Altbier, que significa cerveja velha, no sentido de antiga, pois ela é fabricada no método antigo de alta fermentação.

Fora de Dusseldorf, mas ainda na região do Rio Reno, a Altbier muda um pouco, a lupulagem diminui e o malte aparece mais que as da cidade, por isso não tendo um final tão seco.

A Altbier quase desapareceu do mundo no passado recente, com febre das lagers claras seu consumo caiu muito e as cervejarias ficaram em situação difíceis, mas sorte nossa eles mantiveram esta tradição e hoje eles estão retomando aos pouco seu lugar de direito. Fora de Dusseldorf existem pouquíssimas microcervejarias espalhadas pelo mundo produzindo Altbier, aqui no Brasil apenas a Bamberg e a Abadessa produzem este estilo.

Eu particularmente, me empolgo muito em produzir esta cerveja, pois a história dela é fantástica e através da cerveja podemos contar isso a quem bebe. A Bamberg Altbier é uma cerveja sazonal, mas tentarei deixa-la em linha este ano, esta semana esta chegando no mercado a Bamberg Altbier 2011.

Abaixo segue a minha avaliação sensorial da cerveja.

Bamberg Altbier 2011

Visual: Cerveja vermelha, cristalina, com espuma consistente;

Aroma: O lúpulo aparece floral, cítrico e herbal, mas também percebemos o malte, com biscoito, caramelo, cereal e o fermento de forma sutil com o frutado, frutas vermelhas, pitanga;

Sabor: O primeiro gosto que vem é o amargo do lúpulo, quando o “doce” do malte e o frutado do fermento tentam equilibrar, aparece novamente o amargor do lúpulo finalizando seco;

Sensação na boca: Final seco, carbonatação média-baixa, leve adstringência, bem refrescante.

Comentário geral: Tentei reproduzir o máximo possível as Altbier de Dusseldorf, pra isso trouxemos uma cepa especial de fermento originária desta cidade, o malte vem da cidade de Bamberg e os 3 lúpulos da Bavária, a cerveja deve ser bebida entre 5ºC a 8ºC, ela harmoniza com pratos apimentados, por exemplo, culinária mexicana, indiana; pratos gordurosos, como feijoada, mas também churrasco, carnes em geral.

A Altbier 2011 será vendida em garrafa de 355mL, 600mL e chope, o preço é o mesmo da Rauch, Schwarz, Munchen, Helles e Weizen.


14 comentários:

Bruno Cenci & Tiago Reis disse...

Alexandre,

Tomamos a Alt neste fim de semana em nosso tradicional churrasco. Deixo aqui meu testemunho sobre esta harmonização, perfeita. Além da refrescância o amargor dela combina perfeitamente com carnes vermelhas e porco. Não sei como o pessoal de Dusseldorf descrevem essa cerveja mas aqui eu tenho certeza que a palavra que resume é ... suuuuuuucesso! Temos muita sorte de termos a Cervejasria Bamberg no quintal de casa.

Um abraço e mantenha o bom trabalho, porfavor ... rssss

Bruno

Ricardo Unterkircher disse...

Sábado tomei uma sobrevivente da receita anterior, estava mto boa. Próximo sábado tomarei em chope, já reservado! Espero que deixe de ser sazonal.

Abs

Marco Aurélio Piacentini disse...

Com o MAPA - Ministério do Aparecimento de Problemas À toda hora, não é de duvidar que eles invoquem com o "alt" da altbier... mas enfim, isso é coisa de burrocrata.

Espero e torço que sua alt passe a integrar seu portfólio permanente, para podermos contar com mais este patrimônio.

Eu, enquanto cervejeiro caseiro, estou prestes a realizar um experimento com uma Double Chocolate Oat Meal Stout.

A receita está no meu blog: http://kessbier.blogspot.com

Críticas e sugestões serão bem aceitas, afinal, a brassagem será só no próximo sábado.

Ein Prosit!!

Marco Aurélio

Alexandre Bamberg disse...

Bruno,

Valeu, abraço.

Ricardo,

Prometo tentar mante-la o ano todo.

Abraço

Marco Aurélio,

A Altbier já esta registrada no Mapa, ela é de 4 anos atras, quando as coisas andavam.

Abraço.

Botto disse...

Ansioso pela chegada da Alt, Ale, certo da tradicionalíssima qualidade da Bamberg. Parabéns, meu amigo.
Abração,
Botto

Feijão disse...

Ale,

Finalmente atendeu os pedidos sedentos da massa cervejeira. A Alt tem que ficar o ano inteiro sim. É uma cerveja com ótima personalidade e com certeza vai agregar muito ao paladar brasileiro.

Parabéns, mais uma cerveja Bamberg para este público sedento.

Paulo Feijão

Marco Aurélio Piacentini disse...

Alexandre,

temos que formar um Lobby forte para que as micros no Brasil passem a ser vistas não como um negócio, mas como uma Instituição, um patrimônio. As micros são disseminadoras de cultura.

Abraço,

Marco Aurélio

http://kessbier.blogspot.com

SERRA GELADA disse...

Parabens Equipe BAMBERG;
Voces são uma GRANDE inspiração,junto com a colorado pra mim pessoalmente são os melhores.Fabricam cervejas maravilhosas dignas das grandes escolas cervejeiras.
Continuem assim porque suas cervejas melhoram o meu dia.
Abraços;
André.

Alexandre Bamberg disse...

Bottão,

Já chegou aí e hj vc ja bebeu, valeu.

Feijão,

Tentarei mante-la o ano todo, prometo.

Abraço.

Alexandre Bamberg disse...

Marco Aurélio,

Nosso caminho ainda é longo, a cerveja no Brasil é vista como uma droga destruidora de lares, isso da voto, e é isto que move as coisas aqui, permanencia dos chupins no poder.

Abraço.

Alexandre Bamberg disse...

André,

Muito obrigado pelas suas palavras, certamente não existe premio maior que este, quando alguem diz coisas tão carinhosa.

Abraço.

Marco Aurélio Piacentini disse...

Alexandre,

Não perca a fé.

Como cervejeiro, me irrito com certas coisas, mas como advogado, sei que esses caminhos não são fáceis, mas sempre têm solução.

Se quiser compartilhar algumas idéias e soluções, meu email está à disposição: mappiacentini@gmail.com

Qualquer coisa para melhorar o nível da cultura cervejeira no País, pode contar comigo.

Marco.

Marco Aurélio Piacentini disse...

Meu... detesto ser o último a falar em uma lista
rsrsrs

Marco Aurélio Piacentini disse...

Alexandre,

tem um amigo, dono de uma pequena rede (3 lojas) de supermercados aqui em MT, que tem uma seção de cervejas especiais.

Falei pra ele da Bamberg e ele se interessou.

Como faço pra ele fazer contato comercial contigo?

Abraços,

Marco
Kessbier.