segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Zoiglbier - A história continua.

Quando pensamos em cultura cervejeira, as vezes é mais fácil exemplificar do que tentar definir esta sentença.
Zoiglbier é um estilo de cerveja, ou melhor, uma forma de produzir cerveja que por sua vez deu base a este estilo, ainda encontrado no leste da Bavária, indo da Francônia, passando pela Oberpfalz, até a fronteira com a Republica Tcheca.
No passado as pessoas que tinham o direito de fazer cerveja colocavam na porta da sua casa uma estrela de 6 pontas, parecida com a estrela de David, e no centro dela uma caneca de cerveja.
Cada ponta de um dos triângulos representa a água, terra e fogo; já o outro triângulo representa a água, o malte a o lúpulo, na época não se conhecia o fermento.
Normalmente a comunidade tinha um local onde era usado por todos os cervejeiro pra fazer o mosto e então este era levado para a casa onde era fermentado e depois maturado, daí vendia-se esta cerveja e enquanto tinha-se produto pra vender a estrela era mantida na frente da casa.  
Esta tradição de fazer cerveja em lugares compartilhados vem desde a era medieval e atravessou séculos até chegarmos nos dias atuais onde a Zoiglbier vem retomando um renascimento e a busca pela sua origem
Estes locais de vendas não eram bares, nem abriam em horários comerciais, a Zoiglbier não era vendida em bares, o horário era pré determinado, daí colocava-se a estrela pra fora da casa e começava a venda em uma sala onde o dono da casa utilizava para este fim.
Atualmente é muito difícil achar um local que produza Zoiglbier, temos algumas vilas que a produzem, mas mesmo assim as informações não chegam com muita facilidade ao turista, são elas: Eslarn, Falkenberg, Mitterteich, Neuhaus e Windischeschenbach, provavelmente tenhamos outras nesta região.
A cerveja as vezes varia muito de uma casa para outra, mas em geral elas são escuras, marrom e predominância de malte, o lúpulo esta presente apenas pra equilibrar com o malte, o teor alcoólico gira em torno de 5,0% e é claro que são de baixa fermentação.
O leste da Bavária é uma região que ficou isolada por muitos anos, por fazerem fronteira com a antiga Checoslováquia, pouco explorada por turistas, mas para os amantes da cerveja pode ser uma rota fenomenal, saindo da cidade de Bamberg e chegando até Pilsen, uma rota de 250km com excelentes estradas e com boa possibilidade de conhecer várias casas que produzem o estilo Zoiglbier durante a rota.   
Monge fazendo cerveja com a estrela ao fundo.

12 comentários:

O Mestre Cervejeiro disse...

Excelente post. Cultura cervejeira é isso. Valeu Alexandre.

Monich disse...

Parabéns Alexandre, belo post.
Só corrige a palavra utilisavap. Acontece muito aqui também.
Abraços.
Monich

Alexandre Bazzo disse...

O Mestre Cervejeiro obrigado!!!

Alexandre Bazzo disse...

Monich,

Obrigado, esta foi a única frase que escrevi depois de pronto o texto, dai não passei o corretor, acho que é melhor eu me dedicar um pouco mais a língua portuguesa hehehe. Abraço

André - Caçadores de Cerveja disse...

Alexandre, show de bola essa matéria... Isso é história pura!

Parabéns!

Alexandre Bazzo disse...

André, obrigado, abraço.

Jack Montilla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jack Montilla disse...

Viagem ao velho continente faz muito bem. Mesmo quando essa viagem é feita através da leitura. Valeu pelo post.

Alexandre Bazzo disse...

Jack, é isso mesmo, sempre é bom estudar a rica história do velho mundo. Abraço.

João Gabriel Margutti Amstalden disse...

Cara, que história espetacular! Isso é que é se juntar para fazer cerveja. Podíamos tomar como exemplo para o Brasil!

Alexandre Bazzo disse...

João, se pensarmos bem a Acerva Paulista já tem uma brassagem comunal na sede, falta o pessoal usar com maior frequencia. Abraço.

GYPSYbreja disse...

Muitíssimo interessante, a história sempre contribui no sabor da cerveja!