domingo, 4 de outubro de 2009

Como surgiu a Bamberg Rauchbier

Não sei por que hoje deu vontade de contar para vocês a história de como foi que nós resolvemos fazer nossa Bamberg Rauchbier.

A primeira vez que tomei uma cerveja defumada foi a lendária Marzen da Schlenkerla, que Thiago trouxe para mim direto da cidade de Bamberg, foi difícil tomar a garrafa toda, achei muito defumada, porém o tempo foi passando, o paladar apurando, vieram outras cervejas defumadas que eu experimentei e passei a gostar muito do estilo.





Quando visitei Bamberg pela primeira vez, foi o tempo de chegar ao hotel, tomar banho e caminhar 2 km direto para o pub da Schlenkerla, nesta época já bebia cerveja defumada como se fosse água, nos dias seguintes visitamos todas as cervejarias da cidade e mais algumas da região, e como me sinto no dever de verificar a qualidade das cervejas da região, toda vez que vou para lá, sou obrigado a degustar todas novamente, profissionalmente, claro.

Porém, a cervejaria Bamberg não tinha este estilo no seu portifólio, e muitos turistas que vinham nos visitar estranhavam, uma cervejaria que leva o nome da cidade famosa por suas cervejas defumada não tinha a sua.

Numa noite regada a muita cerveja com nossos amigos da Weyermann, surgiu a idéia, vamos fazer a nossa rauch, porém precisamos dar alma para ela, não bastava apenas usarmos matérias-primas excelentes, a cerveja precisa ter algo mais e foi assim que surgiu a idéia de trazermos um mestre cervejeiro de lá para fazer a cerveja, o nome foi unânime, o mestre cervejeiro e bier somellier Stefan Grauvogl.

Foi então que no dia 06 de agosto de 2008 nós jogamos o primeiro saco de malte defumado dentro de nossa tina de mostura, em pouco tempo a cervejaria estava tomada no ar pelo aroma defumado, foi então que eu senti que esta era a cerveja que faltava para trazermos a cidade de Bamberg mais próxima de nós.


Desde então nas bateladas seguintes as receitas vieram mudando, sempre fazendo ajustes, mas uma característica que ela não perdeu foi o equilíbrio, nota-se o defumado nela, sem que este seja enjoativo, é uma cerveja muito complexa, mas conseguimos bebe-la com facilidade.
Hoje em dia as pessoas que vem nos visitar e muitas outras pelo Brasil, podem encontrar na cervejaria Bamberg a cerveja ícone da cidade de Bamberg.

6 comentários:

Marcus McDuff disse...

Alexandre, não é a toa que levamos um keg de Rauch para o encontro da Acerva Paulista! Realmente essa cerveja é muito boa pois, na minha humilde opinião, ela está equiparada em qualidade com qualquer outra cerveja do mundo dentro desse estilo. Muito boa mesmo!
Grande abraço!

Marcus Alves
www.cervejamcduff.blogspot.com

Alexandre Bamberg disse...

Marcus

Muito obrigado pelos elogios, eu tb gosto muito deste estilo de cerveja.

Abraço

Paulo disse...

Alexandre Bazzo da Cervejaria Bamberg,

Particularmente está lindo de ler este blog, todos os textos muito pertinentes e cheio de amor pelo nobre liquido, parabéns.

Quando tomei a primeira vez uma rauch foi amor ao primeiro gole, acho esta lager muito complexa, parece que é "temperada". Digo com todas as palavras, é um estilo que me agradou desde o primeiro momento e fiquei muito feliz em saber que vocês fariam este tipo de cerveja. Como todos os outros produtos da cervejaria matou a pau. Parabéns.

Abraços

Paulo Feijão do portal oBIERcevando

Alexandre Bamberg disse...

Feijão

Muito obrigado pelos seus elogios, é muito importante, pois vem de quem tem conhecimento.

Abraço

Edu Passarelli disse...

Eu acho que ela é uma cerveja campeã!!!

Parabéns pela Rauch e por todas as Bambergs!

Alexandre Bamberg disse...

Para mim é uma honra receber um elogio do renomado Edu Passarelli.

Obrigado